Agência JWT e 91 Rock: Plug ‘N’ Play

A emissora 91 Rock, de Curitiba, instalou pôsteres com amplificador para instrumentos musicais em locais públicos.
Qualquer pessoa podia plugar sua guitarra e tocar.

91 Plug’n’Play: o pôster, com 7 centímetros de espessura, contém um amplificador para instrumento musical com alto-falantes

Em Curitiba, a 91 Rock teve uma ótima ideia para fazer sua campanha. Deu a chance para guitarristas amadores mostrarem que mandam bem nessa arte!
Colocaram um grande pôster com um amplificador por dentro, em locais públicos da cidade. 

A campanha também encorajou os músicos a filmar ou fotografar as apresentações, e mandar os vídeos para a emissora. Foram feitos dois pôsteres, chamados 91 Plug’n’Play, com 7 centímetros de espessura. Eles circularam por livrarias e bares da cidade. 

A ação publicitária foi criada pela agência JWT,  que pretende inscrevê-la no Festival de Criatividade de Cannes deste ano. Foi às ruas nos dias 29 e 30 de março.
O vídeo abaixo mostra o pôster amplificador em ação.

E aí galera, gostaram da ideia?

Ps:  Reblogado de Exame

Volks Inspira Marvel

Alguém aí se lembra do case da Volkswagen em que uma criança vestida de Darth Vader anda pela casa tentando usar seus poderes?

Pois então, se você não viu é essa:

Para quem não sabe a Marvel estreará no Brasil o filme Thor, e será antes da estreia nos EUA. E ela resolveu divulgar inteligentemente nos mesmos moldes dessa propaganda que fez muito sucesso da Volks.

Segue o vídeo:  

Muito legal, reparem que o nome do cachorro é Loki e a expectativa é quebrada no final. Além do bonequinho do Thor na cama, muito bem pensada essa propaganda. Faz sucesso em qualquer lugar pois une o sucesso de um filme como Star Wars e a comédia. É sensacional!

Adidas Parte Para o Ataque

Na maior campanha de marketing de sua história, a Adidas abandona a postura de boazinha e finalmente parte para o ataque.
Hoje vou falar de um assunto que eu gosto de verdade: Futebol. Como acompanho há um bom tempo, posso dizer sem medo de errar que a Adidas está se tornando a maior referência quando o assunto é futebol, camisas de jogo, chuteiras, meiões. Digo isso não somente pelo design, mas também pela qualidade.

Confesso que a última vez que fui comprar um par de chuteiras, optei pela Nike. E isso contradiz meu post de hoje, pois estou comprovando o sucesso da marca Adidas. Mas aí que chega o seguinte ponto: comprei essas chuteiras em 2008~2009.  Onde a Nike era, ainda, a maior referência no âmbito futebolístico e de moda casual também com tênis, camisetas.

Atualmente, a americana Nike, líder mundial, com 19 bilhões de dólares em vendas produz campanhas normalmente embaladas por músicas que remetem a energia, mostram todas as nuances do dia a dia do esporte — não apenas vitórias edificantes mas também atletas que se machucam ou explodem de raiva diante do fracasso. Do outro lado fica a alemã Adidas, segunda maior do setor, com faturamento de 16 bilhões de dólares. Ao contrário da Nike, os alemães optaram por tratar o esporte em suas campanhas de marketing de forma mais, digamos, civilizada — o tom sempre foi o da “superação”.

A Adidas tem uma força muito grande não apenas no futebol, ganha poder em diversas vertentes do esporte. E acho que as propagandas feitas são muito bem produzidas, além de tudo, são bonitas e isso ganha o consumidor. É lógico que há um exagero de luzes pra lá e pra cá, mas é exatamente isso que ganha o consumidor.E outra tem atores para isso: No futebol tem o maestro francês Zinedine Zidane ; Messi , no Basquete tem Kobe Bryant ; Dwight Howard e juntamente com estes, produziu uma propaganda muito interessante com a cantora Katy Perry e o rapper B.o.B .
Obviamente, essa propaganda tem intenção de atingir os americanos, pois estes cantores tem muito sucesso nos EUA. Lá, é um reduto natural da Nike que conta com 36% de participação de mercado (a fatia da Adidas, segunda colocada, é de 21%). Mas não quero discutir nem entrar neste ponto no post.

ADIDAS IS ALL IN  

O comercial de 2 minutos traz uma série de cenas com mascotes de times de futebol se agredindo, lutadores de boxe sangrando e atletas soltando gritos de guerra ancestrais. Tudo isso misturado a cenas de ensaios da cantora Katy Perry e shows do rapper BoB em inferninhos (ambos são patrocinados pela Adidas).
Pela primeira vez em 64 anos de história, as três linhas de negócios da companhia — originals, performance e style — juntaram-se numa mesma campanha, batizada All in.
A agressividade nas telas foi vista como um sinal daquilo que a Adidas transformou em seu maior objetivo de negócio: tornar-se a maior empresa de material esportivo do mundo até 2015. (A meta, aliás, foi escrita em letras garrafais nas paredes dos escritórios de todas as subsidiárias da companhia.) 

“Nunca tivemos uma estratégia mundial dedicada a um único objetivo”, diz Rodrigo Messias, diretor de marketing da Adidas no Brasil.  Uma pesquisa mundial realizada ao longo de 2009 com mais de 1 000 pessoas mostrou que, para o cliente final, não fazia a menor diferença se determinado produto pertencia a uma ou outra linha. Para ele, bastava saber que se tratava da Adidas.
“Era comum que um jovem usasse produtos da Adidas para praticar esportes e sair à noite”, diz Lu­kas Derksen, vice-presidente e sócio da agência canadense Sid Lee, responsável pela campanha.

O passo seguinte foi testar a aceitação de astros patrocinados pela marca em todos os principais mercados. No Brasil, a preocupação recaiu sobre o craque argentino de futebol Lionel Messi. “Surpreendentemente, os brasileiros são simpáticos ao jogador”, diz Márcio Oliveira, vice-presidente de atendimento e operações da Lew’Lara/TBWA, agência de publicidade da Adidas no Brasil.
Alguém se lembra daquele jogo aqui no Brasil em que o Messi foi ovacionado num Brasil x Argentina ? Pois é, o garoto tem força até com seus rivais. O sucesso do menino fez que ele fosse o astro da propaganda F50 da Adidas. Nela há Zidane e Messi, o mestre e o aprendiz. Há várias propagandas, mas essa foi uma das que mais gostei:



Eu não tenho certeza do que vou dizer, mas acho que a cor da chuteira já foi pensada pela cor da camisa da Argentina. Ou seja, tem tudo a ver com o Messi. A câmera tem muito contraste e saturação, dá muito foco à cor azul. É impressionante como são bem produzidas essas propagandas.
Produziram uma  que destaca, sobretudo, a preocupação em ganhar o público infantil, adaptando as histórias em quadrinhos aos astros do futebol.
Escolhi apenas essa, mas tem muitas com Kaká, Lampard entre outros. O nome é The Ultimate Search  em que Zidane procura astros para formar um time de futebol. E para isso, mostra a história de todos até chegar onde estão hoje. Essa foi produzida para Steven Gerrard, jogador inglês, estrela do Liverpool.

E, por último, juro, uma propaganda muito legal da final da Copa Del Rey disputada na última quarta-feira (20) em que o Real Madrid venceu o Barcelona por 1 a 0.
Na propaganda temos Daniel Alves, David Villa, Messi, Xavi maestros da Catalunha e os  madrilenhos Xabi Alonso, Granero, Arbeloa, Di María, os protagonistas do El Clásico.

A campanha na TV é o carro-chefe no esforço de marketing da Adidas, mas não o único. A empresa vem trabalhando para atingir um público mais jovem, na faixa dos 14 aos 18 anos de idade. (Tradicionalmente, seu cliente mais fiel está na faixa dos 30 anos.)
Para isso, remodelou sua linha de produtos, introduzindo cores mais berrantes em roupas e tênis, e elevou a produção nacional de alguns itens, de modo a deixá-los mais baratos. Além disso, inaugurou sua primeira loja exclusiva para mulheres em fevereiro, em Seul, na Coreia do Sul.
Afinal, para vencer a Nike também é preciso não perder a ternura jamais. Há quem diga que mostrar lutadores  de boxe sangrando passa dos limites para o público infantil. Opinião minha: Claro que sim, porém, vai mostrar boxe como? Um lutador fazendo carinho no outro? Não né… mas sempre tem alguém para encher o saco. Hahaha.

Adidas Football no Facebook acompanha os times que patrocina além de mostrar novas campanhas. É isso aí galera, fico por aqui.

Ser malvado é um bom negócio para a Adidas 
Assim, espera superar a Nike até 2015.

E você? O que achou da intenção da Adidas? Opine aí ! 

PS: Partes do texto foram tiradas e adaptadas de Exame.

Touch Wood SH-08C

E aí galera… no mesmo dia resolvi fazer dois posts. Sei que ainda nem dei tempo pra comentarem no outro mas peço que leiem e comentem, é importante para a continuidade do blog.

Essa propaganda é perfeita, idealizada por japoneses, e é sobre um celular revestido de madeira.
Se passa numa floresta ao som de Sebastian Bach, “Jesus, Alegria dos Homens”.
Vale a pena assistir:

Os japoneses realmente gostam de fazer as coisas com o máximo de preciosismo né? Até se vê isso em eventos japoneses, quando foi a copa, quando há o PRIDE (evento de luta livre) e etc.

Acho que uma produção dessas aqui no Brasil levaria anos e nem terminaria. Haha
Inovador o case né? Achei surpreendente para uma propaganda de celular.
E vocês o que pensam ? 

Abraço! 

Propaganda Nissan

Fala galera!

Muito obrigado pelos comentários ! Gostaria que todo mundo que visse meu Blog comentasse, só pra eu ter uma certa noção se estão gostando mesmo ou se, pela primeira vez, gostaram.

Então… fiquei mais de uma semana sem postar. Confesso que foi por preguiça.
Mas estamos aí, de novo!

Dessa vez a Nissan ao invés de ironizar as concorrentes, ironizou o próprio engenheiro.
Em 3 propagandas, um engenheiro diz que “a concorrência está com raiva da Nissan
A cada propaganda que passa sua situação piora.

Eu acho a ironia sensacional, imperdível… mas somente quando ela é feita com bom senso.
A campanha foi criada pela Lew’Lara TBWA e foi ao ar dia 14 em rede nacional e nos canais oficiais na internet.

Com certeza se eu for de criação e  idealizar uma propaganda, vou pensar com muito carinho em, logo de primeira, utilizar a ironia. Não necessariamente, mas é uma coisa que eu gostaria de usar pra fazer com que o povo pense de verdade ou ao menos instigue um raciocínio diferente.

Acredito que a Nissan tem ganhado muitos pontos com o público com esses tipos de propaganda. Pode ser que eu esteja errado, não observei se as vendas da Nissan aumentaram. Mas tenho certeza de uma coisa, aquela propaganda anterior destruiu com as vendas do 1.6 da Ford.
E isto é uma grande estratégia, pois apesar de nao garantir suas vendas, pelo menos acabou com uma das outras opções do consumidor.

O CONAR resolveu tirar do ar. Mas e aí? Está na internet, para todo mundo ver. Ééé Fordeu

Ja escrevi tudo que queria. Então vamos às propagandas.

  • 1

  • 2

  • 3

Achei boa sacada, ri com a 3ª mas nem se compara, obviamente, à ultima propaganda irônica sobre a Ford.
E vocês? O que acharam das propagandas?

Ahhh… lembrei! Acho bom compartilhar isso.
Observei que existe um canal chamado TV + e não foi por acaso.
Ontem à noite, vendo as atrações de cada canal, li: “Publicidade+Marketing”.
Achei interessante, nem vi qual era o veículo de comunicação e já fui direto pra ver o que estava passando.

Um programa em que um apresentador entrevista alguém ligado à area de Marketing, e ainda mais: na tela passam novidades sobre o mercado, novos cases, sobre Agências.
Achei muito bom! Infelizmente peguei no final. Mas vale a pena e fica aí a dica !

Todo domingo, la pelas 22h TV +, canal 8 da TVA.

Abraços! Comentem, por favor !

  • PS: Há uma grande diferença entre meio e veículo de comunicação. Apesar de serem tratadas como sinônimos, não são. O meio se trata de rádio, tv,rádio, internet, jornal e o veículo seria o nome da emissora, jornal, por exemplo: SBT, Folha de SP, Veja e etc…

Mitsubishi ASX

Olá galera que acompanha o meu blog… Apesar do pouco tempo para postar, aqui estoy yo !

Sexta à noite na PUC, tive aula de Introdução à Publicidade e com presença de um mídia (para quem não sabe é um termo que se refere a quem trabalha com Mídia) da Agência África. É o Filipe Crespo, atuante no Departamento de Negócios da agência atual e que passou dicas com muito conteúdo, por exemplo, para um profissional hoje em dia ser bem requisitado ele precisa ter bons cursos de especialização, não ficar parado, se inteirar do mercado e aproveitar as oportunidades.
Aprendi alguns conceitos básicos, algumas curiosidades (Pois você sabia que, no mundo inteiro, apenas dois países tem um Departamento de Mídia? Sim, apenas o Brasil e a Austrália) que são convenientes para nós estudantes de PP.

Muito legal essa visita, até porque mostrou alguns cases da Agência que virão por aí e que também já foram, e por isso separei um deles que foi exibido ontem pela primeira vez no intervalo da novela. A propaganda da Mitsubishi ASX promovida pela Africa:

Produzida e idealizada de uma forma diferente do padrão de propagandas de carros, mostra diversas estátuas de pedra tomarem vida depois que o carro passa por elas, e correndo atrás do carro como se fosse ele fosse uma presa. E é claro, o carro corre mais rápido que as criaturas, senão que propaganda de carro seria essa? Hahaha
É legal também, lembra bastante aquela Nova Iorque do filme Eu Sou A Lenda e o carro andando sozinho pela cidade e algumas criaturas perseguindo..

Enfim, viajei um pouco nisso mas é  aqui que ficam os meus pensamentos hahaha
Trata do carro como uma espécie, como se fosse um animal, uma fera que corre mais que os animais selvagens e ainda é um veículo 4×4.  Lembra um pouco aquela propaganda do carro no deserto, que é temido pelo povo da areia e aparece no escuro com os faróis acesos.

É isso, post bem curtinho… O que vocês acharam da propaganda? Aliás, tava pensando em fazer uma enquete aqui pra saber qual a idéia de vocês sobre o blog, se está bom, a leitura está fácil. Enfim, algo assim… vou pensar e talvez farei hehe Mas independente disso, falem o que vocês acham sobre o blog, corneta a vonts aí !

Abraços !

Japão Oferta: 8 mil por DIA

Fukushima: Valores Podem Chegar a 8 Mil Reais Por Dia

A empresa TEPCO procura “saltadores”, operários que “saltam” para dentro de áreas altamente radiativas.

É uma oferta de trabalho que soa boa demais para ser verdade: milhares de dólares por até uma hora de trabalho que requer pouca qualificação. Mas ela também soa absurda demais para ser aceita, tendo em vista os detalhes adicionais: o trabalho requer atuar em ambientes perigosamente radiativos.
Os trabalhadores receberiam ofertas de adicionais de insalubridade de até 5.000 dólares por dia (R$ 8.143) para trabalhar nos reatores danificados.

E aí leitor, está interessado em ficar rico correndo altos riscos de contaminação ou prefere esperar uma oferta de trabalho corriqueira com remuneração mensal ? Não, não estou insinuando que o melhor a fazer é arriscar, apenas estou constatando os fatos e se, por acaso eu fosse a favor, eu mesmo iria lá e não faria nenhuma divulgação sobre isso.

Afinal, quem não quer 8 mil por dia ?!

Mas é neste ponto que dou-lhe a seguinte informação:

Às vezes um saltador pode fazer corridas múltiplas, se a dosagem radiativa cumulativa se mantém dentro de limites aceitáveis, embora o que é “aceitável” sempre está aberto a interpretações uma vez que é subjetivo. Em casos de vazamentos extremos, a radiação pode ser tão intensa que o saltador só poderá fazer uma investida desse tipo em toda sua vida, sob o risco de sofrer envenenamento radiativo grave.
A Tepco disse que 18 funcionários e três empregados autônomos foram expostos a 100 milisieverts de radiação na sexta-feira. A dose média para uma pessoa que trabalha em uma usina nuclear é de 50 milisieverts ao longo de cinco anos.
Ou seja, ingerir o dobro da dose de cinco anos em apenas um dia !

E se você pensa que é loucura um trabalho desses, veja o que diz um operário não identificado, que tem cerca de 30 anos:  “Normalmente eu acharia esse o trabalho dos sonhos, mas minha mulher chorou e não me deixou ir, então recusei.”

Na semana passada, dois operários que trabalharam no reator 3 foram hospitalizados com ferimentos depois de seus pés terem sido expostos a 170-180 milisieverts, segundo a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA).

Entro neste ponto aqui para avaliar: quanto vale o risco de trabalho nesta usina ?
Pois bem, se você pensar, o trabalhador vale o que ele precisa para se sustentar, a condição para viver. Só que neste caso, especificamente, envolve uma questão muito maior pois para realizar o trabalho, o empregado arrisca sua vida.
É aí que eu pergunto: uma vida tem preço determinado?

Poxa, claro que não. Já dizia Marx esmiuçando o sistema:A vida não tem preço. E o que gera valor no sistema capitalista é o trabalho socialmente necessário para produzir.

Só que na usina, o trabalho socialmente necessário ajuda o MUNDO. Sim, pois este trabalho é essencial para adiar a contínua contaminação do oceano e na minha opinião, dessa forma, o salário de um verdadeiro herói desses deve ser milionário.

Concluindo, este trabalho é impagável, no pior sentido da palavra que possa existir, que não se pode pagar mesmo, que não tem valor definido !

É isso. E aí ? Já mandou seu currículo para o Japão ? Nem precisa pagar a viagem hein ! =]

Fonte:  http://noticias.r7.com/internacional/noticias/usina-nuclear-acidentada-no-japao-oferece-salario-de-r-8-000-por-dia-20110401.html